Janelas amplas e interação com a cidade são tendência no mercado de luxo

16 de outubro de 2017

No lugar das janelas minúsculas, venezianas móveis, janelas e caixilhos maiores para permitir mais entrada de luz e uma relação mais franca com a vida na cidade. De acordo com matéria publicada no caderno Sobretudo do jornal Folha de São Paulo, essa é a mais nova tendência entre as incorporadoras que apostam no mercado imobiliário de luxo.

Segundo a publicação, se o estilo neoclássico era a principal demanda, hoje, nas principais metrópoles do mundo, vem sendo substituído por projetos residenciais diferenciados, com jardins abertos, materiais inusitados ou em novas leituras, e colaboração de artistas na arquitetura e decoração dos ambientes.

Como exemplo, a matéria cita empreendimentos de arquitetura inovadora que serão construídos em Nova York e prometem não só valorizar o m² na cidade, como melhorar toda a vida urbana de seus entornos.

Entre eles, o 40 Bond, no bairro NoHo, com terraços-jardins, janelas de vidro do chão ao teto, e um portão escultural de alumínio retorcido que mistura as curvas de Gaudí com street art. Além dele, o Via 57 West, do escritório dinamarquês BIG, um arranha-céu triangular com um pátio vertical escavado entre os andares.

Para o arquiteto André Scarpa, consultado pela reportagem, “o luxo está na localização e relação franca com a cidade”. Já para Matteo Gavazzi, também entrevistado, esse novo luxo satisfaz uma demanda contemporânea. “Vivemos sempre comprimidos, quem tem espaço bem pensado é rei”, disse à Folha.

Para ler a matéria completa, clique aqui.