fbpx

A preocupação com o meio ambiente e a responsabilidade da construção civil

6 de fevereiro de 2020

O meio ambiente foi o tema destaque do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, a reunião da elite mundial. Autoridades do mundo todo discutiram o futuro do meio ambiente e da sustentabilidade e o questionamento trouxe o alerta para mudanças em torno das mais diversas áreas. Entre elas, o da construção civil.

De acordo com o site da organização, para construir cidades adequadas ao futuro, é preciso pensar de maneira diferente. Permitir que as futuras cidades sejam resistentes aos impactos previstos das mudanças climáticas e se tornem neutras em carbono envolverá uma maneira diferente de pensar.

Toda cidade possui ativos que estão contribuindo para as emissões de carbono, como fontes de energia dependentes de combustíveis fósseis, gerenciamento de resíduos residenciais e comerciais insuficiente ou inexistente, entre outras. Porém, existem soluções sustentáveis ​​com eficiência de carbono em desenvolvimento para cada um desses ativos essenciais. O que está faltando é a conectividade entre a implantação dessas soluções, que é a oportunidade de reinventar a infraestrutura sustentável da cidade de amanhã.

Não se pode resolver as mudanças climáticas sem transformar as cidades e edifícios. Isso requer grandes esforços dos setores público e privado, mas é possível com as tecnologias atuais. Observar as soluções implementadas em todo o mundo dá uma sensação de esperança, pois a cada dia que passa mais tecnologia e estratégias estão sendo desenvolvidas e implementadas.

Em Londres, Inglaterra, por exemplo, foram criadas zonas de emissão ultrabaixa, além da cobrança de congestionamentos que foi implementada em 2003, uma mudança simples no gerenciamento de tráfego que resultou em emissões de carbono reduzidas, melhoria da qualidade do ar e, finalmente, melhor saúde para os moradores.

Outro exemplo é Nova Iorque que se tornará a primeira cidade dos EUA a implementar preços de congestionamento, cobrando dos motoristas que entrem em Manhattan. Há um mês, Los Angeles lançou o plano de transporte sustentável liderado pela cidade dos EUA. Até 2028, todos os carros novos e todos os ônibus urbanos deverão ser elétricos. Esse compromisso é acompanhado por uma estratégia de congestionamento para lidar com o famoso tráfego de Los Angeles.

Considerando os prédios dentro de uma cidade, o maior impacto nas emissões de carbono é o fraco isolamento ou a excessiva dependência do resfriamento. A boa notícia é que os padrões de construção em alguns países estão liderando o caminho no design de novas construções. Os países escandinavos estão implementando a sustentabilidade de ponta em novos projetos de edifícios.

O Brasil e o Estado do Paraná, por exemplo, se comprometeram a transformar todos os edifícios públicos em energia líquida zero, incluindo 180 escolas públicas, por meio de medidas de eficiência energética, incluindo a produção de energia renovável como uma abordagem integrada – um ótimo exemplo do compromisso necessário para fazer a diferença.

 

Conteúdo adaptado do weforum.org.

Para continuar lendo sobre o tema, acesse:
https://www.weforum.org/agenda/2020/01/to-build-cities-fit-for-the-future-we-need-to-work-together
https://www.weforum.org/agenda/2020/01/how-to-achieve-zero-carbon-cities-and-buildings/