fbpx

Conheça os 5 prédios que foram referência para a construção do AGE360!

6 de fevereiro de 2020

O novo empreendimento de luxo da AG7, em parceria com a Triptyque Architecture, foi inspirado em cinco prédios que são referência em arquitetura e sustentabilidade no mundo. Confira um pouco sobre cada um deles e prepare-se para o que está por vir com o AGE360.

 

(Imagem de divulgação prévia AGE360)

56 Leonard Street, em Nova Iorque

O exclusivo projeto 56 Leonard Street foi recém-nomeado como um dos 10 edifícios mais importantes da cidade de Nova York na última década pela Curbed New York, uma publicação para o setor imobiliário e projetos urbanos americanos. Assinado pelos arquitetos ganhadores de Prêmio Pritzker, Herzog & de Meuron e pelo Alexico Group, o prédio foi reconhecido por redefinir a silhueta de Nova York.

Sua estrutura de 60 andares em cascata revela vistas exclusivas da cena urbana, rios e pontes. Desenvolvido de dentro para fora, ele foi concebido como uma sobreposição de casas, em que cada uma delas é única e identificável dentro do todo.

Apenas cinco das 145 unidades são repetidas e nenhumas das lajes é igual uma da outra, proporcionando aos seus habitantes um projeto único, caracterizado por elementos de individualidade dentro do conjunto geral.

Bosco Verticale, em Milão

Esse é o primeiro exemplo de uma verdadeira floresta vertical e da união da natureza com a arquitetura. De autoria do arquiteto italiano Stefano Boeri, o prédio de duas torres residenciais conta com cerca de 800 árvores na fachada e outros 20 mil arbustos e plantas menores.

O projeto, que chega a 100 metros de altura, já ganhou prêmios internacionais e deu ao arquiteto o título de especialista em floresta urbana. Das janelas, o contato com a natureza é imediato. Diversas espécies de passarinhos são atraídas pelos verdes, que também auxiliam na redução da poluição sonora.

O edifício sustentável utilizou o conceito da chamada Floresta Vertical, um conceito arquitetônico que substitui os materiais tradicionais nas superfícies urbanas utilizando uma policromia de folhas em suas paredes. O conceito se baseia numa camada de vegetação, necessária para criar o microclima adequado e filtragem da luz solar.

432 Park Avenue, em Nova Iorque

São mais de 425 metros de altura, o que dá ao prédio o título de empreendimento residencial mais alto de Nova York, nos Estados Unidos, e 96 andares na Park Avenue, uma das regiões mais nobres da cidade americana, com vista para toda a ilha de Manhattan.

Assinado pelo arquiteto uruguaio Rafael Viñoly, o edifício traz diversos serviços e benefícios exclusivos para seus moradores. Além de restaurante de chef com estrela Michelin, tem serviços de luxo como o do concierge e três andares dedicados ao bem-estar. Estúdio de ioga, tratamentos estéticos, espaço fitness comandado pelo treinador da modelo Naomi Campbell, são alguns dos mimos do prédio.

Burj Khalifa, em Dubai

Considerado o edifício mais alto do mundo, o Burj Khalifa possui 828 metros de altura e está no coração do centro urbano de Dubai. O design da torre de 162 andares combina influências culturais locais com tecnologia de ponta para obter alto desempenho em um clima extremo do deserto.

São escritórios, espaço de varejo, unidades residenciais e um hotel Giorgio Armani. Projetado pelo arquiteto americano Adrian Smith, o design geral da torre foi inspirado nas geometrias de uma flor regional do deserto e nos sistemas de padronização incorporados na arquitetura islâmica.

Além de sua altura recorde, incorpora ainda novas eficiências estruturais e de construção para reduzir o uso e o desperdício de material. Isso inclui um sistema de ventilação “proveniente do céu”, no qual o ar frio e menos úmido é aspirado pela parte superior do edifício. A torre também possui um dos maiores sistemas de recuperação de condensado do mundo.

East 44th Street, em Nova Iorque

Projetado pelo escritório ODA New York, o empreendimento traz jardins escultóricos inseridos nos vazios criados entre os níveis do prédio. O resultado é uma torre que combina as vantagens de viver na cidade com os benefícios espaciais da casa no subúrbio.

Moradores de 11 dos 44 apartamentos tem acesso a um espaço próprio e privativo ao ar livre, com pé direito de 5 metros nos jardins, garantindo que a luz natural entre por eles.

O resultado se sobrepõe à simplicidade e à escultura para criar uma silhueta verdadeiramente icônica entre seus antecessores históricos.

Fontes:
https://www.archdaily.com.br/br/882991/56-leonard-street-herzog-and-de-meuron
https://exame.abril.com.br/negocios/releases/aclamado-pela-critica-o-56-leonard-e-nomeado-melhor-edificio-da-decada/
https://www.archdaily.com.br/br/778367/edificio-bosco-verticale-boeri-studio
https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2020/01/milao-exporta-bosque-vertical-e-quer-floresta-urbana-com-3-mi-de-arvores.shtml
https://g1.globo.com/jornal-hoje/quadros/cronicas/noticia/2019/09/07/bosque-vertical-e-respiro-em-meio-aos-predios-de-milao-na-italia.ghtml
https://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Vida/noticia/2013/07/quatro-brasileiros-pagam-us-95-mi-para-morar-no-predio-residencial-mais-alto-de-ny.html
https://www.archdaily.com/882100/burj-khalifa-som
https://www.archdaily.com.br/br/786471/oda-divulga-projeto-de-arranha-ceu-em-manhattan