fbpx

Plantio de árvore é assunto de saúde pública

6 de janeiro de 2020

De acordo com Robert McDonald, cientista da The Nature Conservancy e coautor do relatório realizado pela organização, trazer a natureza de volta para as cidades é uma estratégia crítica para se melhorar a saúde pública. Segundo ele, as árvores e os parques não deveriam mais ser vistos como luxo, mas sim como a solução para a melhoria da saúde pública.

Plantar uma árvore significa aumentar o bem-estar e a produtividade da população, reduzir a obesidade e a depressão, diminuir a incidência de doenças entre outros benefícios. Isso, por que as árvores têm a função de filtrar o ar do ambiente, ajudar a remover as partículas emitidas por carros e fábricas, reter a água da chuva além de diminuir as despesas com o aquecimento. Tudo que uma cidade precisa para melhorar a saúde de seus habitantes.

Ainda segundo o estudo, não basta falar apenas da importância das árvores para a saúde. É importante citar a interação dos setores florestal e de saúde pública para a cooperação com a saúde da população. Em Toronto, por exemplo, o departamento de saúde pública trabalha em conjunto com o florestal para fazer frente à ilha de calor urbano. Muitos edifícios da cidade não possuem ar condicionado, e por isso, os dois departamentos colocaram, estrategicamente, árvores nos bairros onde as pessoas estão particularmente vulneráveis ao calor, devido ao seu estatuto socioeconômico ou idade. 

Devido à tamanha importância da ação, a incorporadora AG7 anunciou sua nova política institucional da empresa: plantar uma árvore a cada visita nos empreendimentos do portfólio da incorporadora. “Uma árvore será plantada em Curitiba para cada cliente que visitar os empreendimentos da AG7 Realty e se cadastrar no projeto, como Mandala, ÍCARO, Igloo, AGE 360 e projetos futuros. Não se trata de uma ação de marketing, mas uma política da empresa, que tornará uma ação institucional, as doações de mudas de plantas nativas frutíferas para o reflorestamento de áreas carentes de arborização da cidade. Como referência, a quantidade mínima preconizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 12m² de área verde por habitante ou, aproximadamente, uma árvore por morador.”, conta a diretora da AG7, Andressa Gulin. A ação recebeu o nome de “Muda-se” que significa que “cada muda, muda a cidade”.

A principal certificação de sustentabilidade do país, o GBC, no qual o ÍCARO Jardins do Graciosa foi premiado e reconhecido como o empreendimento mais sustentável do país, serviu de inspiração para a idealização da ação de plantio das árvores que também reforça o compromisso da incorporadora. “A AG7 tem o objetivo de transformar a forma como as pessoas vivem no mundo. Fazemos isso por meio da filosofia LEDS – Localização, Exclusividade, Design e Sustentabilidade – que norteiam todas as ações da empresa”.

As mudas serão destinadas ao Projeto 100 Mil Árvores, da Prefeitura de Curitiba e plantadas em áreas residenciais de Curitiba que sofrem com a devastação ambiental. As espécies de árvores que serão doadas são Pitanga, Araçá, Uvaia, Guabiroba, Guabiju e Cereja-nativa. “Queremos, dessa forma, reforçar nosso compromisso com um mundo mais sustentável, realizando ações onde vivemos”, finaliza.